Usando o Microsoft Exchange Server 2010 para obter uma rica coexistência com o Exchange Online – BPOS / Office 365 / Microsoft Online Services – parte 1/3

 

Introdução à Rica Coexistência com o Office 365

Quando nós pensamos em e-mail na nuvem, algumas questões podem surgir, sempre que comparamos com a solução atual que temos on-premises. Dentre elas:

– Você gostaria ter a mesma experiência de administração e controle que é possível no Exchange on-premises?
– Você está considerando hospedar alguns mailboxes na nuvem?
– Você tem preocupações relacionadas alteração da forma de administração do ambiente, após a migração para a nuvem?

A rica coexistência do Exchange Online nos dá a possibilidade de ter a mesma experiência de administração que temos no Exchange Server 2010 on-premises, podendo inclusive, administrar multiplas organizações, independente de ser on-premises ou online, na mesma console.

Overview do Processo de Migração para o Exchange Online

Inicialmente, vamos relembrar alguns questionamentos para a migração para o Exchange Online, baseado no Microsoft Online Standard Deployment Guide (para quem acompanhou a minha palestra sobre “Migração para o Exchange Online”, vai lembrar):

– Qual é o ambiente de origem?
– É Exchange? Qual a versão?
– Não é Exchange?
– Os dados antigos deverão ser migrados?
– Qual é o estado final desejado?
– Totalmente na nuvem?
– Com uma coexistência de longo prazo?
– Qual a velocidade que você deseja atingir o estado final?

Em resumo: temos uma grande variedade de caminhos para uma solução de migração, e uma outra variedade de formas para realizá-la.

Se seguirmos uma resumo sobre o processo de migração, podemos resumi-lo em duas possibilidades: “Cutover” ou Coexistência.

O “Cutover”, ou “virada brusca”, basicamente se baseia nas seguintes etapas:

– Executado em um final de semana, com a virada do registro MX;
– Todos os usuários são movidos para a nuvem como parte de um “big switch”;
– Sem mailboxes pilotos;
– Sem necessidade de configuração on-premises ou requerimento de hardware para a coexistência.

Já a coexistência, é um processo mais delicado, com as seguintes etapas:

– Pode ser executado durante um período de tempo (uma semana, um mês, um ano, etc);
– Não há necessidade de existir um “big switch”, já que o cenário de coexistência pode existir por tempo indeterminado;
– Há necessidade de configuração de software e de hardware.

Recursos oferecidos com a Rica Coexistência

Mas quais são os recursos oferecidos com a rica coexistência? Vamos listá-los e descrever as suas funcionalidades.

Tabela comparativa entre Simples vs Rica Coexistência

Feature

Simples

Rica*

Roteamento de e-mails entre on-premises com o online (recipientes em ambos os lados)

s

s

Roteamento de e-mail com um nome de domínio compartilhado – @empresa.com em ambos os lados

s

s

Única GAL

s

s

Calendário com Free/Busy

s

Out of Office entende que a coexistência entre on-premises com a nuvem é “Interna”

s

Mailtips, messaging tracking, e mailbox search funciona na coexistência

s

Redirecionamento do OWA com a coexistência (única URL para o OWA, mesmo com a coexistência)

s

O Auth header é preservado (garantindo que o e-mail interno não é marcado como SPAM, resolvido pela GAL, etc)

s

MMC EMC GUI (on-premises) usada para gerenciar a coexistência e migração

s

Mailbox moves support both onboarding and offboarding

s

Sem necessidade de reconfiguração do Outlook e resincronização do OST, após a migração

s

* Rica Coexistência requer Exchange 2010 SP1 Hub+CAS on-premises e requer passos adicionais de configuração (tanto na nuvem quanto on-premises)

Vamos explorar no próximo uma descrição sobre essas features.

Abraços,

Carlos Monteiro.

Tags: , , , , , ,

5 Respostas to “Usando o Microsoft Exchange Server 2010 para obter uma rica coexistência com o Exchange Online – BPOS / Office 365 / Microsoft Online Services – parte 1/3”

  1. Quais os passos necessários para a transição do BPOS para o Office 365? « Carlos Monteiro's Blog Says:

    […] Vale lembrar, que já abordamos a Rica Coexistência em um artigo, no ano passado, dividido em parte 1, parte 2 e parte […]

  2. Saiba os passos necessários para a transição do BPOS para o Office 365! « Blogando Microsoft Says:

    […] Vale lembrar, que já abordamos a Rica Coexistência em um artigo, no ano passado, dividido em parte 1, parte 2 e parte […]

  3. Saiba os passos necessários para a transição do BPOS para o Office 365! « IT Elieser – Best of TI Says:

    […] Vale lembrar, que já abordamos a Rica Coexistência em um artigo, no ano passado, dividido em parte 1, parte 2 e parte […]

  4. Quais os passos necessários para a transição do BPOS para o Office 365? « { fernando andreazi } Says:

    […] Vale lembrar, que já abordamos a Rica Coexistência em um artigo, no ano passado, dividido em parte 1, parte 2 e parte […]

  5. Quais os passos necessários para a transição do BPOS para o Office 365? « Jorge G. Vera's Blog Says:

    […] Vale lembrar, que já abordamos a Rica Coexistência em um artigo, no ano passado, dividido em parte 1, parte 2 e parte […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: