E as “Clouds” vão se multiplicando indiscriminadamente

 

Ribeirão Preto (no ar, eu acho…). É engraçado notar os comportamentos dos fabricantes e das empresas de TI, sempre que uma onda sobre uma determinada tecnologia surge. Todos começam a dizer que fazem rapidinho! E no caso de computação na nuvem ou cloud computing, como queiram, o mesmo aconteceu. Muitas páginas de empresas que já trabalhavam com soluções de hospedagens ou que estavam relacionadas com o oferecimento de serviços na Internet, simplesmente colocaram o slogan que “estão na nuvem”.

Isso me irrita! Agora todo mundo está na nuvem! As mesmas empresas que oferecem um serviço que os usuários/empresas reclamam, com baixa qualidade, com quedas e “downtimes” intermináveis, não respeitando os seus respectivos “SLAs”, agora não estão mais servindo “hosting”, “colocation” ou “e-mail”. Agora estão oferecendo “public cloud”, “private cloud” e “SaaS”. E sem mudar nada. Tudo igualzinho, inclusive a péssima qualidade dos serviços oferecidos. O lance é: “Põe cloud no nome que vende!”. Infelizmente, temos que lidar com essas situações complicadas na área de TI.

Isso me lembra muito a bolha das empresas “.com”, no final dos anos 90 e início de 2000. Não que a nuvem seja uma bolha, mas essa banalização do termo ou da tecnologia pode ser sim. No meu humilde entender, quando uma empresa escolhe a troca de um serviço “on-premises” para um serviço na nuvem, os fatores que ela esta buscando é exatamente qualidade, disponibilidade, segurança, confidencialidade, redundância (geográfica claro) a um preço muito mais vantajoso e com a entrega desse serviço com melhor qualidade, respeitando os “SLAs”, sem reduzir a usabilidade ou a experiência do usuário final. Muito pelo contrário, o que ela que é melhorar isso.

E tudo isso auditado e com políticas de privacidade bem definidas. E com as regras do jogo claras sobre quando uma informação poderá ser acessada por um terceiro, por exemplo, o governo. Ah, e sem esquecer a questão de uma “subida para nuvem” de forma transparente, segura, sem traumas. Com base nisso, o cidadão escolhe ou não ir para a nuvem. Simples? De forma alguma! Por isso, tome muito cuidado na escolha.

Mas enfim, temos o livre arbítrio. Portanto, cuidado com o que oferecem de nuvem para a sua organização, porque no fundo, pode se tratar daquele mesmo serviço ruim, em uma infraestrutura de galinheiro, mas com uma bela maquiagem, e é claro, e um nome “something cloud”. Aí, a “cloud” provavelmente vai ser uma decepção. E pode custar a sua cabeça!

Abraços,

Carlos Monteiro.

Tags: , , ,

Uma resposta to “E as “Clouds” vão se multiplicando indiscriminadamente”

  1. Preocupação dos executivos na adoção desregrada de Cloud Computing « Carlos Monteiro's Blog Says:

    […] (depois não digam que não avisei) Há um tempo publiquei um post à respeito sobre o surgimentos das “clouds” para todos os lados. E um dos reflexos disso são […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: